segunda-feira, 7 de julho de 2008

"Tudo cansa, tudo é chato, tudo dói. Eu precisei criar Deus em mim"

Nesta segunda-feira completam-se exatos 18 anos da morte do poeta do rock Agenor de Miranda Araújo Neto, o Cazuza. O cantor morreu às 8h30 do dia 7 de julho de 1990, após uma noite tranquila. A causa registrada no atestado de óbito foi 'choque séptico, conseqüência de uma agranulocitose, decorrente da Aids'.

O JB Online reproduz o emocionado texto que o jornalista Tárik de Souza publicou na edição do dia 8 de julho de 1990 no Jornal do Brasil com o título "Com o fio da lâmina bem afiada".

A SAPE procurando homenagear esse nosso grande ídolo, reproduz uma parte do texto da Tárik .

  • "O poeta terminal, cantor da garganta em chamas e voz sem apuro, sempre exorcizou a própria condição de passageiro da agonia. Quando voltou a lente para as mazelas do país, acionou morteiros no rock enredo Brasil ('mostra a tua cara, quero ver quem paga pra gente ficar assim') ou abriu a metralhadora em O tempo não pára:"
Acesse todo o texto clicando aqui

Um comentário:

RamalhoP disse...

Ficou bem bacana o site/ blog da SAPE. Parabéns!

Apenas uma observação: pesquisando no Google, não encontrei referência ao site da SAPE.
Tive de ir no site da GI Prática para achar o link.

Valeu!!!